quinta-feira, 29 de maio de 2008

Tudo se transforma

Só somos desconhecidos antes do primeiro encontro. Depois podemos nos tornar íntimos. Ou talvez não. Ouvi dizer certa vez que estando próximos vamos nos adequando ao crescimento do outro, e em alguma parte nos tornamos parecidos, nos modificamos mutuamente. Mas assim, estando agora distantes, será que cresceremos e nos modificaremos cada um em um sentido, sem nada ter em comum no final? E quando é o final? Já nem sei mais se há começo. Tudo acontece tão rápido que mal dá tempo de fazermos nossos planos e já somos obrigados a desmoronar nossos castelos de areia. Pode ser que sua torre fique muito alta e eu não consiga mais escalar. Pode ser que a minha torre fique muito alta e você perca o ânimo de subir. Pode ser. Tudo pode ser. A cada segundo tudo se modifica. E já não somos os mesmos. Queria poder crescer ao seu lado, mas acho que não posso mais nem te ver crescer. Quando nos encontrarmos, espero te reconhecer. Espero que ainda guarde um pouco da essência que me encantou. E espero que ela ainda me encante. Espero reconhecer em você uma mínima parte do que esperei que dividisse comigo.

2 comentários:

jay disse...

Transformar um “Oi” num “que bom que tu já estás aqui!”
Transformar um toque numa carícia
Transformar uma troca de olhares numa conversa
Transformar um sorriso numa cumplicidade.
Transformar um “Adeus” num “Até já, não demoro”
Transformar a solidão em felicidade partilhada
Limar arestas. Viver. Respirar fundo. Viver.

Ricardo Gomes disse...

acho

que todo mundo espera alguma coisa, todos nos esperamos muito dos outros, acho na verdade que o lance é nao esperar e se surpreender, o lance é nao há torres que sejam tão altas que um helicoptero não possa te levar ao topo.
beijos