domingo, 17 de abril de 2011

Dom Casmurro - Machado de Assis.


Pela quinta vez eu percorro as páginas do livro que ocupa o primeiro lugar no ranking dos livros de que mais gosto: Dom Casmurro, de Machado de Assis. Como muito já foi escrito sobre a estória de Bento Santiago e Capitolina, me proponho a escrever sobre por que alguém lê um mesmo livro pela quinta vez. Logo no início do livro, o narrador Bento Santiago justifica os motivos que o fazem por a pena na mão. Segundo Bentinho, a intenção em escrever o livro era unir as duas pontas de sua vida, o presente e o passado, já que todas suas tentativas para tal foram frustradas. Resumindo, Bento escreve para relembrar. E para relembrar também eu percorro uma vez mais as páginas do nosso solitário narrador. Ao avançar pelas páginas de Dom Casmurro, histórias minhas vão saindo das palavras lidas, imagens avivam-se em minha mente, como quando Bento vê reviverem em sua mente estórias e pessoas ao ler depois de moço o Panegírico de Santa Mônica. Não sei se me fiz entender. Explico-me. Ao ler Dom Casmurro pela quinta vez, as outras quatro leituras me vêm à mente. Lembro-me de quando ganhei o livro e da primeira vez que o li, ainda em Porto Alegre. Lembro-me também das duas leituras que fiz para disciplinas da faculdade, e pessoas esquecidas e abandonadas em algum lugar qualquer da minha mente reaparecem: professores, alunos, corredores, anfiteatros. Cada leitura de Dom Casmurro, além de ser mais uma leitura do livro que me fascina, é a leitura de mim, das partes da minha vida que gosto de reviver, de relembrar, partes da vida que tenho a intenção de unir. Não só de palavras estão feitos os livros, eles também são capazes de carregar e guardar consigo uma infinidade de sensações que provamos nas leituras. Quando pela sexta vez eu tornar a ler Dom Casmurro, me lembrarei das demais leituras, das situações em que cada uma delas foram feitas, e com Bento Santiago, não apenas reviverei seus dilemas e sua estória, estarei também eu unindo as pontas da minha vida.

9 comentários:

Palavras Vagabundas disse...

Gosto muito de Machado, até hoje não me decidi sobre o meu favorito Dom Casmurro ou Memória Póstumas de Brás Cubas. Já li ambos pelo menos quatro vezes e cada leitura é uma leitura nova, achei lindo lembrar durante a leitura o momento em que se leu.
bjs
Jussara

lea disse...

Bruno que lindo teu blog, adorei conhecer, bjs

Lu Pinheiro disse...

Dom Casmurro é um livro que nos encanta em todas as idades.

alexandre disse...

Ola
Parabéns elo blog!
Abcs

Alexandre Taleb
Consultor de Imagem/Personal Stylist
AICI - USA member - association of image consultants international
Blog: http://ataleb.wordpress.com
Site: www.alexandretaleb.com.br

Marcos Campos disse...

Como musica, que sempre que ouvimos nos traz de volta, pessoas, sentimentos e sensações...
Legal seu blog, legais suas dicas e textos!
Abraço e bom feriado !

Lu Pinheiro disse...

Obrigada pelos elogios Bru.Seria bem vindo nesse trem que sairia do Brasil em direção aos paises baixos primeiro para Irlanda, Holanda.Seria uma viagem fantastica.

railer disse...

acho que li uma vez apenas. a história é boa e é um clássico, né?
o que você achou do filme e da minissérie que fizeram?

Mauro disse...

Vou parecer um analfabeto literário, e assim sou... não li "Dom Casmurro"... lamento.
Mas posso compartilhar o que meus olhos e ouvidos me remetem, que vou a série "Capitu", com uma belíssima fotografia e uma trilha inesquessível...
Se vc não conhece a trilha, vale ao menos ouvir "Elephant gun - Beirut", e sentir a euforia ebriosa que essa música traz.
Bacana seu blog, cara!

Marli Carmen disse...

excelente leitura!!!