domingo, 16 de março de 2008

Travessia


A vida não é literatura e no entanto sou capaz de relê-la. Revisitar páginas escritas não apenas por mim, mas por todos que fizeram parte desse emaranhado de encontros. Viver é negócio muito perigoso, já dizia o da metáfora do sertão. Mas a vida não é sertão. É deserto. Um deserto atravessado por multidões. A vida é caminhar no meio do nada, sem saber se esse sol que queima existe de verdade ou se não passa de uma piada. A vida é estar sempre sozinho, porque somente eu sou capaz de sentir as minhas emoções. A vida é esse emaranhado de encontros que no final resultam apenas em egoísmo e desespero. A vida é a utopia da imortalidade. A vida é engano. É enganar-se a si próprio. É pensar que todos somos um quando na verdade sou apenas mais um. Ninguém é capaz de sentir o que posso sentir. Ninguém é capaz de pensar o que eu posso pensar. Ninguém é capaz de viver o que eu posso viver. E ninguém é capaz de morrer a minha vida, porque ela é só minha. A vida é deserto, porque o emaranhado de encontros não torna o findar desse deserto menos solitário. Todos iremos só.

3 comentários:

jay disse...

a vida é tudo isso. A vida é muito mais, também. Há livros inteiros escritos sobre as 76 batidas cardicas que movem a vida.Mas como dizia o poeta do sertão "A vida -sempre desejada
por mais que esteja errada
ninguém quer a morte
só saude e sorte
e a pregunta rola,
e a cabeça agita..."

mas eu, para simplificar tudo defendo a vida - de uma forma simples, e que é a unica que resulta: partilha!
ah, escrito assim até parece fácil. simples.
Não é.

Ricardo Gomes disse...

faz tempo que nao passo aqui

vc sabe o motivo
pormeto que depois da formatura serei mais presente nesse espaco

bjs

Laine disse...

Bru...Viver é se arriscar...lutar, caminhar, amar, se entregar e até chorar!Viver é tão vital quanto morrer todos os dias!
Amo vc...Hj e sempre pq viver ao seu lado é sentir emoções...expectativas e aprender!
bjss